segunda-feira, 3 de abril de 2017

Lançamento do meu sétimo Livro.


Olá Amigas e Amigos, é com alegria que estou lançando meu sétimo livro: "A Cabala da Pirâmide Invertida", através do site Clube de Autores. Um livro de autoconhecimento, que muitos leitores estavam esperando por seu lançamento. Eu preparei este livro por vários anos, através do meu trabalho, pesquisas e conhecimentos que adquiri através do estudo desta Cabala numerológica. Acesse o link e conheça mais sobre estes estudos.

Abraço meu,

Helen De Rose.

Adquira no link: https://clubedeautores.com.br/book/232001--A_Cabala_da_Piramide_Invertida#.WOKi7fkwjIV

quinta-feira, 16 de março de 2017

Tentação de Dom Casmurro


Oh! Flor do céu! Oh! Flor cândida e pura!*
Encontrei-te no meio do meu paraíso,
No inferno do sanatório, loucura!
És rosa branca dos meus sonhos paradiso

Oh! Menina flor! Oh! Doce Inocência!
Subtrai a paz dos meus desejos insanos,
Eu! Meu purgatório da consciência,
Meus olhos te desnudam, sonhos profanos

Capitu! Alma de menina, minhas sinas!
Sou homem maduro que tu alucinas,
Das minhas entranhas nasce um canalha

Lutando contra sua pureza, tentação!
Aniquilando minh’alma, extrema-unção!
Perde-se a vida, ganha-se a batalha!*

Helen De Rose

(*versos de Machado de Assis, do seu soneto inacabado.)
 
*lançado em novembro de 2016 / CBJE - Rio de Janeiro.


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Sorriso Iluminado!


O sorriso 
aproxima as pessoas. 
Se elas estão tristes, 
encontram nele 
o conforto. 
Se elas estão sozinhas, 
encontram nele 
o abraço. 
O sorriso 
é um gesto renovador 
de ânimos. 
Quando sorrimos 
logo ao amanhecer, 
parece que o dia nos recebe 
comemorando 
nossa presença. 
O sorriso 
é o nosso cartão de visita 
felicitando 
nossos desafios diários. 
Não deixe de sorrir 
um dia sequer, 
porque o seu sorriso 
pode fazer milagres 
inesperados! 
Sorria!

Helen De Rose

* Antologia lançada em Novembro/2016


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Da Minha Carência


Uma mão carecente abre a porta da minha insanidade. Amarra todo o meu coração num laço dependente. Dizendo que seu amor sente minha saudade. E deseja amar o meu passado e futuro no presente. Minha carência está na história de vida que carrego. Por tudo aquilo que me faltou um dia. Alguém carinhoso para carregar no colo o meu ego. Viciando minha mente naquilo que ela confia. Acredito nesse louco sentimento sagrado. Mesmo que perdure por um breve momento de atenção. Só não quero sentir um vazio descontrolado. Quando me encontro diante da solidão. Já esperei muito das pessoas nessa vida. No fim de um túnel onde não vi ninguém. Tive que procurar minha própria saída. Da vida sai feliz quem consigo estiver bem.


Helen De Rose

Do meu livro : Uivam as lobas.

Adquira aqui: Clube de Autores

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Burlesco

Dita Von Teese

Lá está ele na frente da tela
um cara que procura por algo
um sonho perdido no tempo
uma fantasia surgida no alto
de um simples movimento

De repente, ela surge na sua frente
trazendo dois leques de plumas
no meio de colares de pérolas
com dois pingentes de runas
em cada mamilo fremente

Ela mexe as plumas iguais asas
para mostrar sua linda calcinha
com babados delicados de rendinha
rebola o quadril e vira de costas
mostrando onde está suas rosas

O moço se ajeita na cadeira
enquanto ela se aproxima
e mexe na sua cabeça de cima
chacoalhando seus volumosos seios 
com sua visão fixa e faceira

Abre uma champanhe gelada
sorri de forma insinuante
bebe no gargalo e molhada
senta no colo do moço amante
e derrama champanhe nele

Ele nem acredita no que vê
a língua macia dela se mistura
com os arrepios da sua pele
deixando-o louco nesta altura
como se assistisse o 'cine privé'

A moça parece tão maluca
deixa marcas de batom na nuca
arranca os colares e fica nua
veste a calcinha na cabeça
do moço, agora, inteiro paralisado 

Ela pensa que ele está passando mal
pega os leques de plumas brancas
abana as cabeças de baixo e de cima
aspira um fio das plumas e espirra
caindo no colo do moço com suas ancas

Ui! Que encaixe mais ligeiro!
O moço bonito fruiu e estremeceu
enquanto ela virou os olhos pro ar
levantou com um rebolado brejeiro
abriu a porta, saiu, sem dizer adeus.

Helen De Rose


Adquira aqui: Clube de Autores

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Melhor Poesia do Ano




Olá meus queridos, quero compartilhar uma alegria com vocês. 
O 1º Colegiado de Escritores Brasileiros, órgão executivo da Litteraria Academiae Lima Barreto, acaba de divulgar as relações dos autores selecionados para as Edições 2016 do Panorama Literário Brasileiro - As Melhores Poesias do ano.
Como ocorre todos os anos, o processo seletivo considerou obras inscritas nas Seletivas da CBJE, durante o ano editorial: de 31 de outubro de 2015 a 30 de setembro de 2016.
Meu poema foi escolhido:



Folha solta no ar
A inconsciência salta dum abismo lunar

transforma o ouro nas águas profundas do passado

e navega nos oceanos da dualidade da presente intuição.

Cada estação solar traz uma mensagem para decifrar

quando a consciência lúcida procura por um aprendizado

do crer ou não crer pelos caminhos da desmistificação.

As dúvidas são iguais veleiros navegando num mar

e o coração é uma folha solta no ar quando não está amarrado

pela Lei que rege toda a natureza e a sua justificação.

No silêncio, conseguimos ouvir o vento e a vela namorar

enquanto o veleiro roda o mundo sem ficar parado

buscando um significado inevitável para cada sensação.

Quando amarrado num porto, por suas escolhas sem pensar

o tempo se faz algoz do seu corpo e o olhar hipnotizado

misturando os sentimentos depois de uma transformação.

A ventania é um presságio alarmante do que pode chegar

e a destruição é uma prova para quem não foi aniquilado

na renúncia do que se tem para avançar na evolução.

Enquanto a noite vem, ainda há uma folha solta no ar

e, depois do amanhecer, ainda vejo um anjo alado

querendo navegar no vento onde o tempo vira um eão.

Os mergulhos na existência nos mostram como podemos avançar

em cada dimensão existente aqui ou do outro lado

conhecendo a nós mesmos e tudo o que permeia esta compreensão.


Helen De Rose - (poema selecionado na Antologia "Rimas de ventos e velas" em outubro/2015; poema do meu sexto livro "Antologias" lançado em setembro/2016).

Agradeço a oportunidade CBJE (Câmara Brasileira de Jovens Escritores) do Rio de Janeiro.

Site: http://camarabrasileira.com.br/

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Convite do Lançamento do meu Sexto Livro


A Autora Helen De Rose tem o prazer de a (o) convidar para a Noite de Autógrafos do Lançamento do seu sexto livro "Antologias", 115 Poemas Selecionados. 

No dia 17 de setembro de 2016, 
às 18:01 horas, 
na Real Café & Bistrô, 
Avenida Dr. Afonso Vergueiro 2800, 
Sorocaba/SP. 


Apresentação

Um dos aprendizados mais importantes da minha vida até aqui, é a persistência em realizar um sonho, permanecer com a mesma disposição de espírito, no mesmo desejo, perseverando com uma insistência inquebrantável na convicção de conseguir uma intenção, mesmo que situações diárias tentam dizer: - Não.

Desde 2008, eu comecei a enviar meus poemas e outros textos para as seleções de Antologias. Hoje, já são mais de cento e cinquenta textos selecionados em centenas de livros, dividindo com outros autores esta arte literária.

Neste livro, eu escolhi cento e quinze poemas selecionados no período de 2008 até 20015, para que os leitores sintam o quanto é realizador ser pertinaz, ter uma vontade firme de poder realizar um sonho de infância.

Todos os versos deste livro são inspirações de momentos, sonhos, pensamentos, mensagens que chegaram até minha mente, através das percepções físicas, emocionais e espirituais que permeiam minha existência nesta jornada.

Desejo firmemente que ao ler cada poema, penetre numa viagem vibrante da escrita, em manifestações que a alma resume em cada palavra nascida nos segundos pulsantes do meu coração.

Do meu coração para o seu coração.


Helen De Rose

sábado, 20 de agosto de 2016

Um coração no oceano, no Clube de Autores


Estou disponibilizando mais um livro no Clube de Autores. Agora ficou mais fácil de adquirir. Indique para seus amigos e amigas. Clique no título a seguir:

Um coração no oceano é uma coletânea de poesias, poemas, prosas, pensamentos e mensagens.

"(...) Helen De Rose nos brinda com um livro que não se propõe a nos incutir o tosco relativismo, muito comum nos dias de hoje, em análises sobre a transmutação das facetas humanas, pelo contrário, sua obra nos incita a caminhar conscientemente pelos meandros da intersubjetividade. Desejo ao caro leitor uma proveitosa leitura, sinta na alma o quanto estamos mergulhados num mar fantástico de emoções, aqui tão bem descrito em 'Um coração no oceano'. (...)" por Ronaldo Honorio.

"(...) Helen é uma poetisa que tinge as folhas brancas da vida com potencialidade, com romantismo, com seriedade. Uma guerreira da palavra, assim como é em sua vida de luta pelo bem dos seus entes. Em especial, Marina, seu anjo na Terra. Essa é a maior e mais digna missão de uma mulher, mãe e escritora. Sábio o leitor que adentrar ao mundo de Helen de Rose e seus versos caminhando aos corações nos oceanos da vida! (...)" por Ledalge.


Agradeço sua leitura.

Helen De Rose.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

A Lua azul do Norte sagrado


O Sol nasce sob o signo de escorpião
Na ‘terra negra’, na ‘terra do Norte’
Iluminando as margens do Rio Nilo
Alimentando os lírios azuis egípcios
Exalando suas fragrâncias sagradas
Lembrando o aroma do cabelo de Isis
Deusa do amor e dos rituais sobre asas
Dos matizes dos azuis do seu amado Osíris
Das treze partes do seu corpo encontrado
Mumificado pela magia de Anúbis
Chamado por encantamentos purificados
Para retornar vivo das sombras da morte

O dia já se faz tarde no horizonte do Egito
E o pôr do Sol abre passagem para a noite
O céu traz com ele a luz da noite, a Lua grávida
Com os olhos do seu filho amado Hórus
Protegido pelo falcão da ressurreição
Enquanto que os azuis dos lírios do Rio Nilo
Tingem de azul a Lua cheia sagrada do Egito
Lembrando por todos os séculos futuros
O ritual de passagem do povo egípcio
Do nascimento dos mistérios e magias
Berço secreto do esoterismo iniciático

A noite se deita no reflexo do Rio Nilo
Enfeitando as águas com o brilho das estrelas
Formando um lençol de contas brilhantes
Enquanto a Lua azul descansa no seu leito
Presenciando tudo o que está em cima
Sacramentando tudo que está em baixo
Pirâmides, Esfinges, Sarcófagos, Luxor
Eternizando uma civilização e suas Dinastias
Todos os segredos que ali ainda sobrevivem
Por quanto tempo durar esta misteriosa magia
Nos oráculos secretos da natureza universal

Helen De Rose




terça-feira, 12 de julho de 2016

Ausência (entre parênteses)



Deitada nesta linha pulsante da vida,
eu entrego meu corpo cansado,
com todas as minhas lutas em vão,
alimentadas pela ilusão de um sonho,
que um dia vi acontecer nos teus olhos.
(Uma luz nos envolveu rapidamente,
enquanto o amor sorriu para nós,
transformando nossa vida numa só.)

Deitada nesta linha pulsante do amor,
eu entrego meu espírito magoado,
com todos os sentimentos do meu coração,
silenciado pela minha visão marejada,
que um dia vi sair da tua emoção.
(Um sentimento único, sem explicação,
em cada gesto, ao som da nossa respiração,
no descanso do êxtase do nosso amor.)

Nesta ausência de mim mesma,
a noite ficará mais serena com a presença da Lua,
e o dia mais iluminado com cada nascer do Sol.
Eu estarei entregue na paz de não ter nada,
nem aqui ou em qualquer outro lugar.
(Afinal, os parênteses podem ser retirados
sem alterar o sentido da sua vida, sendo 
dispensáveis, apenas um acessório ínfimo.)

Helen De Rose

*Lançamento em 20/06/16  - CBJE - Rio de Janeiro.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...